Botânica Forense


O que é a Botânica Forense?
Nos últimos anos, a investigação nas Ciências Forenses tem evoluído imenso com o avanço de outras áreas das ciências. A Botânica é uma área extremamente vasta e de particular importância na investigação forense. Apesar da reconhecida importância, a Botânica Forense tem sido muitas vezes esquecida ou limitada à morfologia sistemática e taxonomia com a identificação de espécies e de plantas ilegais. No entanto, a Botânica Forense abrange áreas tão diversas e especializadas como a dendrocronologia, a limnologia e a palinologia, entre outras. Vários são os exemplos, o pólen encontrado em evidências forenses pode dar informação para associações sazonais ou para a localização geográfica. A presença de diatomáceas na medula femoral pode confirmar morte por afogamento, assim como a sua composição indicar para o possível local ou época. Neste sentido, é inegável o reconhecimento da Botânica Forense como auxiliar na investigação e busca de evidências forenses. É portanto crucial a formação de profissionais com competências no reconhecimento de plantas e seus vestígios, na análise e interpretação de dados para uma correta avaliação e verdadeira ajuda na resolução de casos forenses, criminais ou outras questões legais que possam suscitar ajuda da Botânica Forense.

Áreas de estudo da Botânica Forense:
– Sistemática e Taxonomia;
– Morfologia e Anatomia;
– Palinologia;
– Ficologia e Limnologia;
– Dendrocronologia;
– Ecologia vegetal e Biogeografia;
– Botânica molecular;
– Fitoquímica: Isolamento e identificação dos constituintes vegetais.

Nota Biográfica da Presidente
Cláudia Maria Rosa Ribeiro, licenciada em Ciências Farmacêuticas, em 2002, no Instituto Superior de Ciências da Saúde Norte. Doutorada em Ciências Biomédicas, em 2010, no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto. Desde o início da sua atividade profissional em 2002 até ao presente é docente de várias unidades curriculares nas áreas científicas das ciências da saúde no Instituto Superior de Ciências da Saúde Norte. Desenvolve atividades de investigação no âmbito do IINFACTS sendo investigadora principal do projeto “Monitorização de fitoestrogénios, micotoxinas e metais pesados nos estuários dos Rios Douro e Ave” e colabora em outros projetos. Atualmente é regente da unidade curricular de Farmacognosia e Botânica do Mestrado em Ciências Farmacêuticas e da unidade curricular de Botânica da Licenciatura em Ciências Laboratoriais Forenses.

         

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *