Exame do Local do Crime

O que é o Exame do Local do Crime?
Atentos à necessidade da fundamentação das decisões judiciais, bem como à necessária consubstanciação da produção da prova penal, considerado por muitos o meio objetivo mediante o qual o espirito humano se apropriará da verdade, o Exame ao Local do Crime é o momento a partir do qual se abrirão as portas para que, os peritos das diversas ciências forenses possam dar a sua valiosa contribuição para a descoberta da verdade. O labor forense inicia-se no próprio local do crime, e só com o seu correto processamento se desabotoará o percurso para o sucesso das diversas ciências forenses.
Segundo Locard (1925), … “A evidência física não pode estar errada, não pode cometer perjúrio contra si próprio, não se pode tornar ausente. Cabe aos humanos procurá-la, estudá-la e compreendê-la, apenas os humanos podem diminuir o seu valor”..., imortalizando a teoria (princípio) de que ocorre sempre a transferência (permuta) de substâncias entre autor, vítima, local e objetos, podendo afirmar-se que Não existem crimes perfeitos!
Estes não se resolvem por desconhecimento científico; intervenção técnica/metodológica deficiente ou incorreta; e/ou falta de meios técnicos adequados.
Assim, O Exame ao Local do Crime é o momento em que tais falhas poderão ser suprimidas, materializando-se no metódico e rigoroso conjunto de procedimentos e metodologias que visam o tratamento de cada um dos vestígios existentes no local do crime, desde a sua localização até ao seu transporte. É a intervenção no local propriamente dita.
Importa realçar o necessário rigor de atuação, visto que apenas existirá uma única oportunidade para examinar o local do crime antes da sua contaminação, quer por terceiros, quer por qualquer um dos intervenientes do universo judicial.

Nota Biográfica do Coordenador
Mário Paulo Lage de Carvalho nasceu em Chaves em 1976. Foi nessa cidade que viveu a sua infância/adolescência até 1994, altura em que ingressou como voluntário na Armada (Marinha de Guerra Portuguesa). Em 1996 ingressou na Guarda Nacional Republicana, tendo aí exercido funções durante cerca de 20 anos, nas categorias de Guardas e, posteriormente, de Sargentos. Atualmente, exerce funções na Unidade de Investigação Criminal (UIC) da Polícia Judiciária Militar (PJM), na qualidade de Sargento Investigador. É bacharel e licenciado em Ciências Socias-Área Vocacional de Psicologia Social. É também Pós-graduado em Ciências Médico Legais e Mestre em Medicina legal pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar-UP, sendo que posteriormente realizou o Curso de Estudos Pós-graduados em Sociologia no ISCTE-IUL. Sendo a “Arte da Investigação Criminal” a sua principal área de interesse, é detentor de diversa formação profissional, onde se destaca o Curso de Formação de Investigadores (PJM); a formação de Investigação de Crimes Violentos Contra Pessoas (PJ); o Curso de Técnicas de Entrevista e Interrogatório (PJ); o Curso Sintético de Investigação Criminal (Universidade Fernando Pessoa); o Curso de Exame ao Local do Crime (Perito – PJM); (…). É formador certificado do IEFP.